I wish...

Eu bem queria chegar a casa, sentar-me tranquilamente, abrir o computador e escrever aqui qualquer coisa maravilhosa, arrebatadora, ao mesmo tempo subtil e engraçada, mas também profunda e inspiradora, enfim qualquer coisa tão perfeita que nos pudesse ludibriar a todos, que nos fizesse fugir por uns momentos desta vida tão profundamente incompleta, injusta e cruel.

Digo: nunca como hoje me senti tão velha, tão ultrapassada pelas coisas, tão presa numa rede de artimanhas da qual não me consigo soltar por mais que tente.

E surge-me na mente aquela frase, inúmeras vezes repetida: com cada desgosto profundo uma parte de nós morre, para jamais voltar... Lembro-me de um post que escrevi há muitos, muitos meses, com profunda dor e em que me imaginava a mim própria no espelho, a Sofia de antigamente, a Sofia que acreditava, para sempre impedida de voltar a habitar o mundo real.

Mas hoje que a angústia adormece de mansinho no meu peito percebo que essa Sofia ainda está aqui, agonizando lentamente, à espera de um grito de salvação, um grito que nunca virá...

Como eu queria que as coisas corressem bem!... É um desejo tão forte que me arrebata. Talvez eu ainda possa ser feliz...

3 comentários:

caxemire disse...

independentemente do que escrevas por mim aqui, para mim é sempre inspirador, a sério!

se há coisa que admiro é tua escrita :)


beijinhos*

Silverdrop disse...

desc n ter resp a sms. hj estive na consulta até tarde..

kt ao post...é claro que ainda podes ser feliz. pode-se sempre ser feliz! so de vez em quando ficamos com a vista enevoada e nao conseguimos ver isso =)

sofia disse...

De vez em quando preciso de umas lentes de correcção... sem dúvida ;)

beijinhos para as manas de que eu gosto*