Pela noite dentro

Deixo-me cair nos lençóis macios. A luz azulada do ecran projecta-se, sozinha, no ambiente escuro do quarto, desenhando novos contornos e sombras. Já não tenho medo deste silêncio. As memórias tristes batem levemente à porta e entram devagar sem esperarem por uma resposta. Transformadas em fumo invisível preenchem o espaço e fundem-se com o próprio ar, envolvem-me e entram em mim em geladas golfadas de vento cada vez que respiro. Não me tiram o sono nem me comovem. Convertem-se em imagens desconectadas que nem me esforço por organizar, numa espécie de filme mudo dramático de má qualidade.
Bem longe daqui um outro fumo adensa-se e forma pequenos flocos negros, uma neve de culpa e solidão que nunca derrete. Alguém treme de frio. Dizem que cada um tem o que merece.
Já as minhas memórias tristes são só farrapos de nuvem, são só um fumo invisível que eu sopro pela janela e se perde na noite. Eu não tremo de frio.

4 comentários:

Ana disse...

Num blog alheio puseram um desafio - recomendar um livro a um amigo. E, na sequência desse desafio, alguém recomendou um livro (Quem Mexeu no Meu Queijo?) a outro alguém.

Por piada, decidi comprar o livro. Pequenino, um pouco simples até... mas a verdade é que gostei bastante de o ler!

Acho que não perdias nada em lê-lo também. :) Portanto, Sofia, recomendo-te este livro. A ti.

E justifico-o com a citação que aparece numa das páginas iniciais:

"A vida não é um corredor direito e fácil de percorrer no qual possamos caminhar livremente e sem limitações, mas sim um labirinto com diversas passagens, através das quais temos de procurar o nosso caminho, perdidos e confusos, em que de quando em vez acabamos por ir dar a um beco sem saída. Mas, se tivermos fé, Deus abrir-nos-á, sempre, uma porta, talvez não aquela que nós próprios tenhamos planeado, mas uma que, na sua essência, provará ser boa para nós." (A.J.Cronin)


Basicamente, a mensagem que estou a tentar fazer passar é a seguinte: Não te deixes prender ao passado, pois o futuro só vai acontecer quando te deixares libertar.

Ana disse...

(ena, o comentário quase que foi maior do que o post original! Desculpa, entusiasmei-me!)

sofia disse...

Vou lê-lo, certamente :) em breve digo-te o que achei.
(devia ter ido com a silverdrop à feira do livro!)

Silverdrop disse...

:P pois devias

mas ainda estás a tempo de lá ir ;)

nao te esqueças, acaba a 10 de junho ;)`***